segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Na minha escola não tem aula



Na minha escola não tem aula,
Na minha escola não tem aula,
Na minha escola não tem aula.
E por que teria aula
Se ter aula é brincadeira?
Ter aula é brincadeira!
Para o governo é brincadeira,
Para o estudante é brincadeira.
Ter aula é brincadeira.

E ninguém continua dando valor a brincadeiras. 

(Jefferson Santana, in Cantos e Desencantos de um Guerreiro)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

sábado, 18 de agosto de 2012

Um navegante


Um navegante surge no horizonte.
Como vindo de muito longe,
espero que queira hospedagem.

Surge por trás da visão marítima
como sujeito imponente
trazendo luz por onde chega.
Por onde passa 
até as nuvens abrem caminho.
Uma nuvem ou outra atravessa-o
mas ele imponente
não perde a chama que acendeu.

Refletido no espelho do mar.
As ondas vem chegando
no mesmo instante que o reflexo.
Que nas areias da praia onde estou, se retenha
como algas que passeiam e por acaso ali estacionam.
Destino
desenhado 
a partir do percurso 
mais improvável da onda que nasceu.

Aqui te encontro imponente
e meu sonho rejuvenesce.
Um querer incessante
numa praia abundante 
n'agua, n'areia amena
o porto seguro. 

Jefferson Santana (Porto Seguro/ Bahia - Agosto de 2012)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

PARTES EM PARTE




Um poema
para se desintoxicar de um problema.

Um pedaço de mim
combatendo outro pedaço de mim.

De partes em partes vai se poetizando
coração
despedaçado.

Um poema como sorriso no rosto
para aliviar tapa na cara...
                    pancada nas costas,
                    rasteira nas pernas.

- Agruras desta vida,
não deixe que falte
o poema de cada dia!


(Jefferson Santana)

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Sequelas



Sentir a carne inflamada pelo sangue fervente das veias.
Sentir o coração agitado, violentando o meio do peito.
Sentir a lágrima que cai dos olhos despejando revolta.
Sentir os pesadelos que consomem os pensamentos.

Sentir
Sentir
Sentir

Sentir o elo 
partido

Sentir o corpo 
                vagando no  
                mundo 
                                           perdido.


Sentir
o sentido se desfazendo...


          sentido
 sem 
                            direção

sem 
seta
sentindo
seguidas
sequelas.